Daniela Romo: a vida começa aos 60 anos

Todos os dias, Daniela Romo celebra o presente de estar com vida. A ponto de chegar aos 60 anos – amanhã-.  Sabe que já não é a mesma depois da batalha contra o câncer que foi diagnosticado em 2011, por isso desfruta tanto o presente.

sorrisa 1

Mudam as perspectivas de vida quando te dá algo assim tão forte, porque eu sim estive muito muito mal, e nunca mais volta a pensar em que te faz falta, começa a pensar mais bem, em agradecer, o que se pode fazer, até onde se chegou. O que se tem conquistado, e a tudo dá boas vindas com prazer e alegria, e trata de por o melhor de sua parte para fazer um bom trabalho,” diz.

Em entrevista com EL UNIVERSAL a cantora compartilhou algumas inquietudes e como chega ao seu aniversário de 60 anos.

Depois de protagonizar o Musical Hello Dolly, a interprete de “Eu não te peço a lua” quer tomar um tempo de descanso.

“Muitas vezes tem que parar um pouquinho, se cuidar, se procurar e fazer as coisas que faz no dia a dia: arrumar tua casa e fazer suas coisas, isso é o que quero fazer.”

Tem feito música, televisão, teatro…

Sempre tenho falado que sou muito afortunada e tenho o privilégio de me realizar em minha vocação. Soube desde cedo que queria fazer isto que faço, e sempre tenho feito com uma grande alegria, dedicação, disciplina e exigindo muito de mim mesma.

Venceu o câncer, uma doença que hoje muito se escuta.

N-C1-EU260819-5_DrupalMainImagenVertical.var_1566792875

Antes não se falava, agora se fala porque tratamos de expor, os que tem passado por isso de motivar as pessoas e convidá-la para cuidar uns dos outros, que se cuidem de si mesmo, porque realmente o único que temos é isso, o instante da vida, o dia de hoje. O passado já se foi e o amanha quem sabe se vem, então tem que procurar sempre se cuidar.

Me da muita tristeza, que muita gente se foi, que não teve essa mesma oportunidade, são momentos que nos dizem “que forte” porque têm recorrido um caminho de dor, de dificuldade, de coisas muito difíceis, mas trata de continuar adiante.

Quando olha para trás, te surpreende a fortaleza que teve?

Se entra a um mundo desconhecido, tem que aprender coisas e nunca sabe do que é capaz, até o ponto que tem que fazer.

Me surpreende no sentido de que, de repente tem pessoas que morrem muito jovem. Quando estava em pleno procedimento de minhas quimioterapias, morreu Chucho Benitez, um futebolista da América que tinha a metade da minha idade e morreu de um infarto, super jovem, e diz: meu corpo não estava preparado para os embates que me tocavam, e, no entanto tive essa fortaleza e vontade que não sabe como o faz, mas sabe que o tem que fazer, está lutando por sua vida.

Tem artistas com uma grande trajetória que já não os oferece papeis. Para ti em algum momento tem sido complicado encontrar trabalho?

Acabo de terminar um grande projeto, que custou muito trabalho e esforço, mas eu creio que todos os atores têm que se preparar para isso algum dia. Chega um momento de renovação, aonde chegam às novas gerações, em que as empresas mudam e às vezes todos nós somos reorganizados, mas todos creio, temos que interiormente saber que isso chega a suceder, uma vez que tem que estar preparado para isso.

Se me vai acabar a vida, que se me acabe o trabalho, pois é outra coisa mais fácil com o lidar, está vivo ainda e pode tentar muitas coisas.

Decidiu não ter filhos…

Fui uma filha de mãe solteira e minha mãe é um ser grandioso que amo em minha vida, porque me deu tudo e levou adiante a mim e a minha irmã. A verdade é que eu o decidi quando pensei que não queria repetir padrões. Não nada mais, porque eu queria ter filhos, eu iria ter, porque não é uma coisa de “quero isto”, não é um capricho.

Sempre pensei que se tivesse filho, teria gostado de ter família composta e ter um matrimônio incrível, e dois ou três filhos que pudesse ajudá-los a andar no caminho da vida. Mas eu não me sinto frustrada, ademais o tempo vai passando e eu sempre estive entregue ao meu.

O que mais preocupa a Daniela Romo?

Me inquieta o mundo do dia a dia, todas as coisas que ocorrem em nosso país, o que passa pelo mundo, o que está passando na Amazônia… aqui estamos vivendo umas coisas de intolerância e falta de respeito, violência, parece que todo o mundo anda irritado.

Me preocupa essas coisas, mas tem que viver cada dia e ir mais adiante, seguir procurando o seu bem e o de todas as pessoas  que se aproximam.

Como celebrará este ano de teu aniversario?

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e close-up

Nunca fiz festa, queria minha festa o ano passado, porque cumprir 59 e sou de 59, mas estava ensaiando Dolly e que melhor presente, tive 210 presentes (apresentações)

Sou muito tranquila para isso. Eu gosto de ver minha mãe, vou comer com ela, minha irmã, meu sobrinho e estar tranquila.

 

 

 

Fonte: https://www.eluniversal.com.mx/espectaculos/la-vida-comienza-los-60-anos

Daniela Romo reverencia a Hello, Dolly!

Daniela Romo desejava desde dos 11 anos protagonizar o musical Hello, Dolly!

Daniela Romo reverencia a Hello, Dolly! A atriz regressa aos cenários teatrais com este musical, que tem previsto sua estreia no final do ano no Teatro dos Insurgentes.

“Espero que Dolly esteja aqui para ficar por muito tempo. Esse é um tema para o mês de outubro. Estou muito feliz, emocionada, agradecida e me sinto honrada de poder fazer parte de uma obra como esta, e mais como se pretende fazer.”

t11.jpg

“Estou na expectativa deste novo projeto, que são desses que demoram de chegar na vida, mas quando chegam, te enchem de emoção e felicidade”, compartilhou Romo em entrevista.

A obra, com música e letra de Jerry Herman, e roteiro de Michael Stewart, estará produzida por Tina Galindo, Caudio Carrera, Morris Gilbert e OCESA.

Estreada em Broadway nos anos 60, o musical narra à história de Dolly Levi, uma casamenteira contratada pelo solteiro Horace Vandergelder, de quem se apaixona da protagonista.

“Já se abriram os anúncios para as audições. Não sei quem vai me acompanhar, mas estou emocionada com esse projeto, porque é algo que tenho desejado durante muitos anos em minha vida, e por fim chegou o momento.” Compartilhou também a cantora.

Hello, Dolly! Será o retorno da Romo ao teatro musical, no qual experimentou nos inicios de sua carreira em produções como El Diluvio que Viene, Victor/Victoria, em 20017, o mais recente que participou.

“Dá-me muita felicidade e emoção interpretar a personagem de Hello, Dolly!, que aqui em México  grandes atrizes a interpretaram, como a Libertad Lamarque, e depois Silvia Pinal.”

Na Espanha a fez Concha Velazco, que é uma atriz que também admiro muitíssimo. Me tocou fazer o mesmo personagem que ela fez em Gran Hotel, e que eu o fiz em El Hotel de los Secretos.

A interprete de “yo no te pido la aluna” assistiu ontem a estreia Los Miserables, no teatro Telcel. Me dá prazer saber que esta obra está por fim na cidade do México, de nova roupagem, porque já esteve em outra ocasiões, mas esta é a grande aposta de Los Miserables. Creio que vou levar um grande sabor na boca, expressou Romo.

Hello, Dolly!

Em outubro estreia no Teatro Insurgentes, o maravilhoso musical, Hello, Dolly!

hello2

Para uma grande montagem, uma grande estrela! Sim, em outubro próximo o maravilhoso musical Hello, Dolly! chegará ao teatro dos Insurgentes, com a atuação da sempre triunfadora Daniela Romo, que regressa assim aos cenários teatrais, que viram nascer sua magnifica e exitosa carreira.

E evidentemente que detrás de um projeto desta magnitude, está a melhor equipe do nosso país, o que antecipa a qualidade e a pompa desta montagem: Tina Galindo, Claudio Carrera, Morris Gilbert y OCESA, quem coproduzirá essa montagem.

Se trata de um dos grandes clássicos do teatro musical de todos os tempos, e que hoje está mais vigente que nunca, pois Dolly é precisamente uma lutadora, uma mulher que não se deixa vencer pelas adversidades; para quem não se fecha as portas, quem frente a qualquer situação, por mais difícil que seja, tem uma solução e uma saída.

Dolly é uma personagem para uma grande estrela, por isso volta aos cenários mexicanos nas mãos de uma das figuras das ultimas décadas do nosso país, a grande Daniela Romo, quem volta ao teatro nessa montagem, que desde agora se antecipa que será inesquecível.

Hello Dolly, com a música e letra de Jerry Herman e roteiro de Michael Stewart, está embasada em uma obra de um ato titulada The Merchant of Thornton Wilder, que é o mesmo revisou em 1995 e renomeou como The Matchmaker.

hello1.png

 

CONTIGO PAN Y CEBOLLA

Em 1971 estreou a Primeira Grande Comedia Musical Mexicana “CONTIGO PAN Y CEBOLLA”, de Manuel Eduardo de Gorostiza e letra e música de José Antonio Zavala.

Onde Daniela Romo estreou aos 11 anos de idade.

EL DILUVIO QUE VIENE

Dom Silvestre, sacerdote de uma pequena cidade montanhosa, recebe um telefonema de Deus, anunciando que enviará uma segunda inundação universal. Silvestre tem a missão de construir uma arca e salvar sua aldeia, que foi escolhida para repovoar a terra.

aqw

 

Clementina, que está secretamente apaixonada pelo pároco, está disposta a ajudá-lo, mas seu pai, o prefeito, não acredita em nada o que Silvestre diz. O prefeito continua a se opor às intenções de Silvestre e ao povo, e tudo é complicado pela chegada de Consuelo, uma mulher de vida fácil, que distrai todos os homens da cidade na noite anterior ao dilúvio, que por instruções do Senhor , deve ser dedicado a procriar.

Deus intervém novamente para restaurar a ordem, dando a Toto, o tolo das pessoas, a masculinidade, para manter Consuelo ocupada. Depois daquela noite de paixão, Toto se apaixona por Consuelo e propõe casamento. Quando a cidade descobre que Consuelo, ao se tornar a esposa de Toto, também irá subir na arca com eles, eles se recusam a continuar construindo a arca. Silvestre tenta convencê-los, mas finalmente decide lidar sozinho.

No entanto, pouco a pouco, começando com Clementina, todos se arrependem e vem ajudá-lo, até que em um trabalho de equipe, eles montam a arca e a deixa pronta para navegar. O primeiro ato acaba quando descobre que o prefeito desapareceu … O prefeito, que se esconde na estátua do santo da cidade, consegue chamar as autoridades locais para prender Silvestre em seu plano “insano” para levantar toda a aldeia para uma arca.

mn

No meio do casamento de Toto e Consuelo, o prefeito deixa a estátua devido a uma necessidade premente e é descoberto, para que ele seja preso e trancado. Mais tarde, Clementina confessa seu amor a Silvestre, que se recusa a perder seu celibato, mas depois de consultá-lo com Deus, ele diz que ele nunca pediu tal celibato, então Silvestre é totalmente livre para amar Clementina.

Depois de escalar os animais na arca, Silvestre e todas as pessoas estão prontas para navegar, mas naquela momento aparecem as autoridades locais, que tentam parar toda a ação. No entanto, a inundação começa, e, como somente Silvestre e Clementina estão a bordo da arca, parece bom para Deus que só eles são salvos.

Silvestre se recusa a deixar que todos os seus paroquianos se afoguem, então, em um ato de rebelião, ele sai da arca e isso obriga Deus a parar o dilúvio. No final, todos celebram sua salvação com uma ótima refeição. Silvestre pede desculpas a Deus por sua rebelião, e Ele decide acompanhá-los em sua celebração.

 

Manolo Fábregas apresenta El Diluvio que Viene :: de Garinei y Gionannini :: Producão dirigida no México por Ramón Riba e Antonio Riba :: Escrita por Iaia Fiastri :: Adaptacão Manolo Fábregas :: Música de Armando Triovaioli :: Supervisão Carlos Valero :: Direção Musical Adrián Oropeza :: Escenografía Giulio Coltellacci :: Año 1978

Elenco:

Daniela Romo;

Héctor Bonilla;

Mónica Sánchez Navarro ;

Patricio Castillo ;

Rebeca D’Vivar;

Arturo García Tenorio.

Comecei como cantora

Comecei como cantora… Mas me dei a conhecer como atriz.”

Bom, na verdade é que cantar não é algo novo para mim. Eu comecei realmente no meio artístico  como cantora, com os Hermanos Zavala. Com eles estive durante sete anos. Faz dois que comecei outra vez, em  Espetacular Domecq, para a televisão. Cantei em Sienpre en domingo, e acabo de gravar um disco, También yo. Este tem sido para mim um sonho feito realidade. Estou muito contente por tudo isto, e porque o público tem me recebido. excelentemente.

“Mas sim, eu canto desde de sempre! O que passa é que encontrei o caminho.” Daniela

 

26730799_1216574785153639_6167101222555884228_n

 

Um encontro com a canção

Daniela Romo lendo jornal

*Imagem ilustrativa. Você encontrará a nota original, abaixo da publicação.

Dona de uma personalidade e de uma trajetória notável, Daniela Romo, brilhante estrela, ultrapassou os limites de sua vida pessoal e se converteu em uma pessoa pública da arte dramática, assim como grande cantora (a nível mundial do espetáculo). Romo é uma mulher de grande capacidade e muito ímpeto em sua vida pessoal e profissional, que se autodefine como uma mulher privilegiada ao fazer o que mais ama na vida: ser artista e viver da arte (celebrando 21 anos de carreira, dos quais 9 foram dedicados à música).

Iniciou seu caminho no âmbito artístico sendo integrante do Coro de Los Hermanos Zavala, seguiu como modelo e depois iniciou no teatro (17 obras teatrais), percorreu o cinema (7 filmes) e mais tarde ingressou na televisão (6 novelas e 4 séries musicais).

A primeira musica do seu novo álbum se chama “Que sabes tu”, que foi um êxito notável quando lançado e foi interpretado por grandes cantores (inclusive, internacionais). Agora, Daniela dá a música uma nova dimensão e imprime um toque especial (da forma que só ela sabe fazer).

Cabe destacar que com este novo álbum de boleros, ela se consolida internacionalmente como uma das grandes cantoras da América Latina. Nós despedimos de Daniela Romo, uma beleza com talento que triunfa no mundo, mas que guarda belos momentos na Argentina.

Nota: Enzo Galeota

ROMO1

Reflexão sobre a Vida

 Daniela no Programa Leyendas RMS

Sou inimiga da injustiça, gostaria que houvesse mais justiça no mundo. Mas não haverá outra forma de resolver as coisas, se não começarmos a mudar a nós mesmos. Não podemos mudar o mundo, mas podemos mudar a um (nós mesmos), desde o momento em que se acorda até a hora que se vai dormir. Ao sair de casa com boa atitude,  terás de volta uma boa atitude.

gitana05O que todos seres humanos  tem em comum, é a morte, como destino comum também é de ter nascido e está aqui. Estamos aqui neste planeta, e precisamos respeitá-lo, porque somos parte dele e somos parte de tudo. Somos um ponto tão pequenino no Universo tão imenso.

Então, me interessa falar sobre essas coisas e projetá-las, pois a vida é breve e frágil.  Gosto que as pessoas, e que eu mesma tenha desejo de aprender e querer desfrutar os instantes, pequenas alegrias, dar risadas e gargalhadas, gozar de uma amanhecer ou um entardecer, admirar uma paisagem, aproveitar o momento compartilhado. Gosto de desfrutar das coisas, porque a vida não passa de uma etapa bem curta. Nós seres humanos, somos frágeis e breves.

22/10/2017