Daniela Romo fala sobre “Cristina, rebelde”

Mulheres Assasinas A atriz e cantora Daniela Romo, que dá vida a Cristina, na série “Mujeres Asesinas”, evidenciou que qualquer mulher pode se tornar assassina, inclusive ela mesma (se chegassem a machucar seus entes queridos). “A violência dá medo, mas faz com que qualquer um que seja vulnerável se torne assassino. No caso da Cristina, suas culpas, medos e aflições a distanciaram do seu projeto de vida inicial”, comentou.

A cantora também acrescentou que qualquer mulher pode se converter em assassina, e admitiu que ela mesmo realizaria um ato deste tipo se alguém se intrometesse na vida de seus queridos, como por exemplo, na vida da sua mãe…

Cristina é uma mulher presa em suas próprias frustrações e paranoias, disse Romo ao descrever sua personagem na série “Mujeres Asesinas”, cuja história é baseada em fatos reais. Em entrevista a Notimex, a atriz e cantora revelou como se preparou para dar vida à policial: “Me sinto completamente satisfeita com esse personagem. Me renovo como atriz e mostro certos sentimentos que podem fazer com que qualquer mulher desenvolva esse instinto assassino”.

Romo evidenciou que Cristina é uma policial corrupta e viciada, no entanto, em algum m momento da vida, sonhou em ser heroína… mas o sistema acabou apagando suas ilusões. Romo disse que ela mesmo se interessou em criar um passado e uma história para essa mulher, cujas emoções são completamente perturbadas. A protagonista do musical “Victor Victoria” também disse que preferiu não fazer um trabalho de campo apesar de que muitas de suas amizades lhe asseguraram que ela poderia encontrarum policial corrupto sem necessitar sair da cidade.

“Creio que exista muita corrupção por aqui, mas também muitos servidores públicos que merecem meu respeito… foi por eles preferi não fazer um trabalho de campo, além disso, a personagem Cristina está envolvida com drogas por causa da má vida que escolheu levar e por causa dos altos e baixos emocionais”.

Para dar realismo a cada uma de suas cenas sentimentais, confessou que chegou a se aproximar de alguns viciados. Segundo ela, isso foi bom porque a ajudou a entender alguns fatores que os levaram a essa situação. Romo ainda reiterou que a série é baseada no mundo atual e não tem o intuito de passar uma mensagem de violência e sim criar consciência de que esse tipo de atitude não é indiferente ao ser humano. Neste capítulo, a atriz compartilha os créditos com José Carlos Ruiz, Raymundo Capetillo, Marcos Valdés, Gonzalo Sánchez e Rosa María Bianchi, que será uma peça chave na história devido a estreita relação de amizade com Cristina.

A interprete de Celos, mencionou  também que um dos atrativos que viu no projeto foi a abordagem sobre a psicologia, que pode fazer com que uma mulher se torne assassina, pois na maioria dos casos (de crimes) se pensa logo nos homens.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s